Pesquisa Ibope divulgada pelo jornal O Globo mostra que corrupção foi eleita pela primeira vez a grande preocupação do brasileiro, superando até mesmo a saúde e a segurança pública, que costumam liderar o ranking.

Em 2011, apenas 9% dos entrevistados consideravam a corrupção o grande problema do país no momento. Em 2017, esse número disparou para 62%. Há seis anos, a saúde e a segurança, com 52% e 33%, respectivamente, ocupavam as duas primeiras colocações na relação dos cinco grandes temas para o eleitorado. A corrupção ficava apenas na quinta posição.

O percentual registrado agora é três vezes superior ao de 1989, ano da primeira eleição presidencial direta após o fim da ditadura militar. Na ocasião, 20% indicavam a corrupção como sua principal preocupação.

A reportagem de O Globo questiona como os presidenciáveis vão tratar do assunto em 2018, já que alguns deles, como o ex-presidente Lula e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), têm seus nomes citados nas investigações da Lava Jato. No caso do petista, há até uma condenação a nove anos de prisão da qual ele recorre. Ambos negam qualquer irregularidade.

Para a diretora-geral do Ibope, Márcia Cavallari, a eleição de 2018 é a mais imprevisível de todas da história recente do país. “Não há pista sobre essas eleições. São candidaturas pulverizadas. Não se sabe se Lula será mesmo candidato. Também não se sabe ainda quais os efeitos vão ter, para o bem ou para o mal, as redes sociais”, afirmou ao jornal.

Segundo a reportagem, em 2011, quando a economia ia bem, no início do primeiro mandato de Dilma Rousseff, a corrupção estava em quinto lugar na ordem de interesse dos eleitores – atrás de saúde, segurança, educação e emprego.

O início da virada veio apenas em 2015, quando 31% dos eleitores apontavam o combate à corrupção como o segundo item mais urgente para o país, à frente até de questões sobre segurança (29%) e educação (24%).

Em dezembro de 2016, 40% dos entrevistados pelo Ibope elegeram o combate a corrupção como prioridade na agenda pública. Agora, pela primeira vez na pesquisa do instituto, virou o principal motivo de aflição.

Comentários
COMPARTILHAR